Festival ZUM 2019

Programação Festival ZUM 2019

Publicado em: 24 de outubro de 2019

 

SEXTA, 1 de novembro

 

18h30 – Lançamento da revista ZUM #17 [Foyer]

 

Ariella Azoulay

19h30 – Desaprendendo a história da fotografiaAriella Azoulay conversa com Lilia Schwarcz

Uma das vozes mais provocadoras da teoria fotográfica atual, a pesquisadora questiona os mitos fundadores da fotografia para contestar as práticas imperialistas modernas legitimadas e perpetuadas por ela. Azoulay conversa com a historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz, que pesquisa as origens e os efeitos da violência, do racismo e do autoritarismo na constituição da sociedade brasileira.

[Cineteatro – 145 lugares]

Grátis. Entrada livre, por ordem de chegada. Lugares limitados.

Evento com tradução simultânea.

 

SÁBADO, 2 de novembro

 

10h – 20h – Exposição de Fotolivros 2019 [Biblioteca]

11h – Editores e autores comentam destaques da Exposição de Fotolivros de 2019 [Biblioteca]

Grátis. Entrada livre, por ordem de chegada. Lugares limitados.

 

12h – 19h

Feira de fotolivros Veja aqui a lista dos editores, coletivos e artistas selecionados. [Térreo]

Feira de fotografia analógica/FRoFA [Praça]

 

12h -19h – Ocupação VideoBrasil – Projeção de vídeos do acervo de mais de três décadas do VideoBrasil. Veja aqui a programação completa. [Sala de aula]

 

DEBATES

Foto de Tobias Zielony da série The Citizen, 2015.

15h – Políticas do deslocamento

Eustáquio Neves + Dora Longo Bahia + Tobias Zielony

Mediação de Suzana Velasco

Eustáquio Neves mobiliza seu arquivo pessoal na construção de narrativas sociais de escala global; Dora Longo Bahia se apropria de imagens do fotojornalismo, mudando seus sentidos; e o alemão Tobias Zielony fotografa populações marginalizadas e leva esses discursos para outros circuitos. Na obra desses três artistas, o trajeto que as imagens perfazem e o contexto em que são vistas são tão importantes quanto suas visualidades.

[Cineteatro – 145 lugares]

Evento com tradução simultânea.

 

Exposição #RioUtópico , foto de Nathalia Menezes, Pedacinho do Céu, 2018.

17h – Tão longe, tão perto: novos centros e novas periferias

Rosângela Rennó + Aleta Valente + Vincent Catala

Mediação de Ivana Bentes

Aleta Valente dispara memes do subúrbio carioca; Rosângela Rennó usa fotos alheias para tecer um mapa visual alternativo da cidade; Vincent Catala mudou-se da França para a Zona Oeste do Rio atrás de paisagens que não foram feitas para exportação. A partir de perspectivas e linguagens bastante distintas, o três artistas põem em circulação outras visões sobre um espaço urbano supersaturado, criando novas redes.

 

19h – Arte na contracorrente

Paulo Bruscky com Dária Jaremtchuk

O artista pernambucano multimídia comenta a importância da fotografia na sua trajetória pioneira como um dos grandes nomes da arte-xerox e da arte postal nos anos 1970.

 

DOMINGO, 3 de novembro

 

10h – 20h – Exposição de Fotolivros 2019 [Biblioteca]

11h – 12h30 – Clube do Fotolivro [Biblioteca]

No encontro, 10 participantes poderão apresentar bonecos e protótipos de seus fotolivros para uma discussão coletiva, trazendo a oportunidade de uma intensa troca, algo muito importante nesta etapa da produção. Envie um e-mail com informações sobre o boneco do seu fotolivro para clubedofotolivro@gmail.com. Pode ser pdf, vídeo ou fotos. As vagas para a apresentação dos bonecos são limitadas, mas a participação na discussão é aberta e incentivada para todos os interessados.

Grátis. Entrada livre, por ordem de chegada. Lugares limitados.

 

 

 

11h – 16h – Oficina – Andejo: Processos de criação em rituais e performance negra

com Moisés Patrício [Estúdio IMS]

O caminhar também é uma prática estética. A proposta do encontro é oferecer ao público percursos no entorno de equipamentos culturais e uma metodologia de criação em rituais e performance a partir de caminhadas, vivência e treinamento com elementos da cultura Afro-brasileira em especial o candomblé Ketu.

15 vagas (a partir de 16 anos)

Pré-requisitos: Celular com câmera.

Entrada gratuita. Distribuição de senhas 60 minutos antes. Limite de 1 senha por pessoa.

 

12h – 19h

Feira de fotolivros [Térreo] – Veja aqui a lista dos editores, coletivos e artistas selecionados.

Feira de fotografia analógica/FRoFA [Praça]

12h -15h30 – Ocupação VideoBrasil. Veja aqui a programação completa. [Sala de aula]

 

Da série Maskirovka, Kiev, 2017. Cortesia Tobias Zielony KOW Berlin.

13h -18h – Oficina – Políticas do corpo

com Tobias Zielony [Estúdio IMS]

A oficina vai enfocar o retrato em relação à questão da identidade, do eu, do gênero e do corpo. O encontro será uma oportunidade para compartilhar e desenvolver os vínculos entre o mundo das imagens e o mundo físico. O participante deve trazer uma foto sua e uma foto de um estranho, além de aparelho fotográfico (câmera ou celular) com o qual esteja familiarizado. Todos são bem vindos.

15 vagas (a partir de 16 anos)

Pré-requisitos: Câmera fotográfica (ou celular com câmera). A oficina será ministrada em inglês.

Entrada gratuita. Distribuição de senhas 60 minutos antes. Limite de 1 senha por pessoa.

 

 

Fotografia Pontes sobre abismos #3, de Aline Motta, 2017. Coleção da artista, São Paulo, Brasil.

16h – Conversa com Aline Motta [Sala de aula]

A artista irá comentar o processo criativo por trás do seu projeto ganhador da Bolsa de Fotografia ZUM/IMS de 2018, um livro dividido em duas partes: a primeira, um experimento usando técnicas literárias para contar algumas histórias inspiradas em sua família; e a segunda um ensaio fotográfico a partir dos temas tratados nestas narrativas.

Grátis. 35 lugares. Entrada livre, por ordem de chegada. Lugares limitados.

 

Convidados

Ariella Azoulay (1962) é escritora, curadora de arte e cineasta. Professora de Cultura e Mídias Modernas e do Departamento de Literatura Comparada da Universidade de Brown, nos Estados Unidos. Autora de Civil Imagination: A Political Ontology of Photography (Verso, 2015) e Potential History: Unlearning Imperialism (Verso, 2019).

 

 

Paulo Bruscky (Recife, Pernambuco, 1949) é artista multimídia e poeta. Pioneiro no uso de mídias como postal, xerox e carimbo no Brasil, desenvolve pesquisas em arte conceitual desde os anos 1960. Na década de 1970, produziu trabalhos com intensa carga política, como forma de protesto contra o regime militar instaurado no país. Autor de dezenas de filmes de artista, nos anos 1980 criou o xerofilme, com base em sequências xerográficas. Participou das 16ª, 20ª, 26ª e 29ª edições da Bienal Internacional da São Paulo.

 

 

Rosângela Rennó (Belo Horizonte, 1962) é artista plástica. Organizou, em 2017, a exposição #rioutópico, no Instituto Moreira Salles – Rio. Autora de diversos livros de fotografia, como Arquivo Universal, Mais-valia [leilão] e A01 [COD.19.1.1.43] – A27 [S | COD.23] – este último o eleito livro do ano do Paris Photo-Aperture em 2013. Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 

 

Lilia Schwarcz é historiadora, doutora em antropologia social e professora titular da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas na USP. É autora de As barbas do imperador (Companhia das Letras, 1998), vencedor do Prêmio Jabuti em 1999, entre outros. Atualmente é curadora adjunta do Masp.

 

Ivana Bentes é professora titular da UFRJ e doutora em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. É professora e pesquisadora do Programa da Pós Graduação em Comunicação da UFRJ e Diretora da Escola de Comunicação da UFRJ. É autora dos livros Mídia-Multidão: estéticas da comunicação e biopolíticas ( 2015), Avatar: O Futuro do Cinema e a Ecologia das Imagens Digitais, com Erik Felinto (2010), Glauber Rocha: cartas ao mundo (1997) e  Joaquim Pedro de Andrade: a revolução intimista (1996).

 

Eustáquio Neves (Juatuba, Minas Gerais, 1955). Fotógrafo autodidata, recebeu importantes prêmios, como Marc Ferrez de Fotografia da Fundação Nacional de Arte (1994), Nacional de Fotografia do Ministério da Cultura e Funarte (1997),  o Grande Prêmio J. P. Morgan de Fotografia (1999), Especial Porto Seguro de Fotografia (2004) e Bolsa de Fotografia ZUM (2019).

 

 

Dora Longo Bahia (São Paulo, 1961) é doutora em poéticas visuais pela ECA/USP, onde atualmente leciona. Possui pós-doutorado em filosofia pela FFLCH/USP. Expõe regularmente no Brasil e no exterior desde os anos 1980. Artista multimídia, suas obras tratam de temas como violência, sexo e morte.

 

 

Tobias Zielony (Berlim, 1973) é artista, fotógrafo e cineasta, conhecido por suas fotografias de jovens de periferias e profissionais do sexo. Autor de Manitoba (2009-11) e Jenny, Jenny (2013), entre outros. Sua obra The Citizen (2015) foi exibida no pavilhão alemão da 56a. bienal de Veneza.

 

 

Aline Motta (Niterói, 1974) vive e trabalha em São Paulo. É bacharel em comunicação social pela UFRJ e pós-graduada em Cinema pela The New School University (NY). Seus trabalhos combinam diferentes técnicas, como fotografia, vídeo e instalação.

 

 

 

Aleta Valente (Rio de Janeiro, 1986) é bacharel em História da Arte pela Escola de Belas Artes da UFRJ. Artista multimídia, usa a fotografia, a performance e memes em plataformas digitais para discutir temas como a representação da classe trabalhadora, a legalização do aborto e o direito à cidade.

 

 

Vincent Catala é um fotógrafo francês, membro da agência VU’. Vive e trabalha no Brasil desde 2012, entre Rio de Janeiro e São Paulo. Tem fotografias na coleção do Museu de Arte Moderna do Rio.

 

 

 

Moisés Patrício trabalha com fotografia, vídeo, performance, rituais e instalações em obras que lidam com elementos da cultura latina, afro-brasileira e africana. Entre as exposições das quais participou, destacam-se Histórias Afro-atlânticas no Masp e Instituto Tomie Ohtake (São Paulo, 2016) e a Bienal de Dakar no Museu de Artes Africanas (Senegal, 2016).

 

 

Suzana Velasco é jornalista. Trabalhou por 12 anos no jornal O Globo. É autora do livro A imigração na União Europeia: Uma leitura crítica a partir do nexo entre securitização, cidadania e identidade transnacional (EDUEPB, 2014).

 

Dária Jaremtchuk é professora de História das Artes na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP. Autora de Anna Bella Geiger: passagens conceituais (C/ARTE, 2008) e Arte e Política: situações (Alameda, 2010).

 

Associação Cultural VideoBrasil foi fundada por Solange Farkas em 1991 e reúne obras do Sul geopolítico do mundo – América Latina, África, Leste Europeu, Ásia e Oriente Médio – entre clássicos da videoarte, produções próprias e uma vasta coleção de publicações sobre arte.

 

FRoFA – Feira de Fotografia Analógica foi idealizada por Guilherme Maranhão e Massao Matsuhashi, em 2017/2018, com o objetivo de conectar fotógrafos, laboratoristas, escaneadores e outros profissionais engajados na fotografia analógica.

 

Apoio:

 

 

 

 

 

Saiba o que aconteceu nos festivais anteriores:

Festival ZUM 2018

Festival ZUM 2017

Festival ZUM 2016

 

 

Tags: , , ,