Festival ZUM 2020

Conheça a programação do Festival ZUM 2020

Publicado em: 01 de dezembro de 2020

O Festival ZUM 2020 acontece nos dias 11, 12 e 13 de dezembro, com conversas e debates online em torno da imagem contemporânea. Veja abaixo a programação completa do festival

 

SEXTA, 11 de dezembro

31 de maio de 2020. Em plena pandemia da codiv-19, e sem máscara, contrariando o decreto em vigor no Distrito Federal, Bolsonaro passeia a cavalo, acenando a apoiadores em frente ao palácio do Planalto. O próprio presidente compartilhou vídeo do ato em rede social, comentando: “Estarei onde o povo estiver”. (Dida Sampaio/ Estadão conteúdo)

18h30 – 19h30

A política da imagem: Um ensaio abre-alas de Lilia Schwarcz

Aula aberta sobre o papel das imagens na construção dos discursos de poder, a partir da análise visual do noticiário político recente e da história do país, de D. Pedro a Jair Bolsonaro, de Getúlio Vargas a Donald Trump.

Veja no canal da ZUM no YouTube

Da série Natureza brasileira, de Rosana Paulino, 2020.

20h – 21h30 – Lançamento ZUM #19

A quem pertence a história?Rosana Paulino + Denise Ferreira da Silva

A artista Rosana Paulino conversa sobre seu trabalho com a filósofa Denise Ferreira da Silva, investigando temas como a história das pessoas negras, a violência racial e o papel da arte geométrica latino-americana no disfarce de nosso passado colonial.

Veja no canal da ZUM no YouTube

 

 

SÁBADO, 12 de dezembro

 

Do livro Notas sobre a alegria fundamental, de Carmen Winant, 2019.

15h – 16h30

A imaginação feminista radical – Carmen Winant + Roxana Marcoci 

A artista norte-americana conversa com a curadora de fotografia do MoMA/NY sobre seu trabalho com fotografias de arquivo e seus livros Meu parto e Notas sobre a alegria fundamental, que mostra comunidades alternativas fundadas por mulheres.

Veja no canal da ZUM no YouTube

 

Um logo para América, instalação pública de Alfredo Jaar, 1987. Cortesia Fundação Hasselblad.

17h – 18h30

A política da imagem – Alfredo Jaar + Thyago Nogueira

O artista chileno radicado nos Estados Unidos conversa com o editor da revista ZUM sobre as políticas que governam a produção e a circulação de imagens, mostrando as implicações econômicas e sociais ligadas ao ato de ver, bem como nossa responsabilidade como espectadores.

Veja no canal da ZUM no YouTube

 

DOMINGO, 13 de dezembro

 

Da série Inquéritos, de Teresa Margolles, 2016.

15h – 16h30

A violência da América LatinaTeresa Margolles + Gabriela Rangel

A artista mexicana Teresa Margolles, formada em patologista forense, conversa com a diretora do Malba, de Buenos Aires, sobre seus trabalhos que mostram os reflexos sociais das políticas públicas do México, principalmente ligados ao tráfico de drogas, à pobreza e à violência contra as mulheres.

Veja no canal da ZUM no YouTube

 

Voyeurs, de Denilson Baniwa, 2019. Acervo da Pinacoteca de São Paulo.

17h – 18h30

Contra um novo fim do mundoDenilson Baniwa + Ailton Krenak

O artista Denilson Baniwa e o intelectual Ailton Krenak conversam sobre como resistir ao apagamento da memória indígena pelo sistema da arte ocidental.

Veja no canal da ZUM no YouTube

 

Por conta da pandemia da covid-19, nesta edição 2020 do Festival ZUM não iremos realizar a nossa tradicional Convocatória de Fotolivros. Os livros lançados este ano poderão participar da convocatória para o Festival ZUM de 2021.

 

Convidados

Lilia Schwarcz é historiadora, doutora em antropologia social e professora titular da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas na USP. É autora de As barbas do imperador (Companhia das Letras, 1998), vencedor do Prêmio Jabuti em 1999, entre outros. Atualmente é curadora adjunta do Masp.

 

 

 

Rosana Paulino é artista e suas obras integram o acervo do MAM-SP, Universidade do Novo México e Museu Afro-Brasil. Exposições recentes incluem: Rosana Paulino – A costura da memória (2018), na Pinacoteca de São Paulo e Histórias Afro Atlânticas (2018), no Masp e Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.

 

 

 

Denise Ferreira da Silva é professora e diretora do The Social Justice Institute / GRSJ da University of British Columbia. É autora do livro Toward a global idea of race (University of Minnesota Press, 2007)e editora-chefe da série de livros Law, race and the postcolonial, publicada pela Routledge/Cavendish. 

 

 

 

Alfredo Jaar é artista, arquiteto e cineasta. Participou de diversas Bienais de Veneza e São Paulo e da Documenta em Kassel. Tornou-se um Guggenheim Fellow em 1985 e um MacArthur Fellow em 2000. Em 2018 recebeu o Hiroshima Art Prize e em 2020 o Hasselblad Award. 

 

 

 

Thyago Nogueira é editor da revista ZUM e coordena a área de Fotografia Contemporânea do Instituto Moreira Salles. Em 2019, presidiu o júri do prêmio Hasseblad, que teve o artista Alfredo Jaar como vencedor.

 

 

 

Carmen Winant  é artista e escritora, autora do fotolivro My Birth (Self Publish Be Happy, 2018) e Notes on Fundamental Joy (Printed Matter, 2019). Participou com a instalação My Birth da exposiçãBeing: New Photography (2018), no Museu de Arte Moderna de Nova York.

 

 

 

Roxana Marcoci é curadora sênior de fotografia no Museu de Arte Moderna de Nova York e preside o grupo da Europa Central e Oriental do C-MAP do MoMA (Perspectivas de Arte Contemporânea e Moderna em um mundo global). Colabora com as publicações Aperture, Art in America, Art Journal e Mousse. 

 

 

 

Teresa Margolles é artista e examina as causas sociais e consequências da morte, da destruição e da guerra civil. Suas obras estão em coleções de instituições no mundo todo, como o Centre Georges Pompidou, na França, o Fotomuseum Winterthur, na Suíça e o Tate Modern, no Reino Unido.

 

 

Gabriela Rangel é curadora, crítica e escritora. Foi diretora e curadora-chefe de Artes Visuais da Americas Society em Nova York entre 2004 a 2019. Mestre em estudos curatoriais pelo Center for Curatorial Studies do Bard College, e em estudos de mídia e comunicação pela Universidad Católica Andrés Bello em Caracas.

 

 

 

Denilson Baniwa é artista visual. Iniciou sua trajetória em espaços de resistência e ligados a movimentos indígenas da região amazônica. Participou da 33a Bienal de São Paulo, no 29o Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo, do simpósio Arctic/Amazon, em Toronto, no Canadá e da oficina Poéticas amazônicas, na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos.  Venceu o prêmio PIPA Online 2019 e participou da 22a Bienal de Sidney, em 2020.

 

 

 

Ailton Krenak é ativista do movimento socioambiental e de defesa dos direitos indígenas, organizou a Aliança dos Povos da Floresta, que reúne comunidades ribeirinhas e indígenas na Amazônia. É comendador da Ordem de Mérito Cultural da Presidência da República e doutor honoris causa pela Universidade Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Publicou recentemente Ideias para adiar o fim do mundo (Companhia das letras, 2019), A vida não é útil  (Companhia das letras, 2020) e O amanhã não está à venda (Companhia das letras, 2020).

 

 

 

Saiba o que aconteceu nos festivais anteriores:

Festival ZUM 2019

Festival ZUM 2018

Festival ZUM 2017

Festival ZUM 2016