“Na Espiral do Atlântico Sul”, de Tatewaki Nio

 

Tatewaki Nio, projeto Na Espiral do Atlântico Sul, 2017-2018.

Na Espiral do Atlântico Sul é um trabalho fotográfico subdividido em três séries que investigam as relações históricas e contemporâneas das cidades de Lagos (Nigéria) e São Paulo (Brasil). O projeto teve como ponto de partida o livro Da Senzala ao Sobrado, de Marianno Carneiro da Cunha. O livro, de 1985, traz imagens feitas pelo fotógrafo Pierre Verger. Tatewaki Nio pesquisou na Fundação Pierre Verger, em Salvador, e conseguiu localizar algumas casas construídas pelos retornados. A partir desta questão central, que deu origem a série Nas pegadas dos retornados, o artista desenvolveu ainda outros dois ensaios: Megacidades e Estou aqui, sou daqui.

 

Nas pegadas dos retornados

Entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018, Tatewaki Nio percorreu diversas cidades nigerianas, entre elas Ile Ife, Ilesa, Osogbo, Ogbomoso, Ibadan e Abeokuta, além da capital Lagos. Nio foi em busca da “arquitetura brasileira” em solo africano, isto é, construções projetadas e realizadas por ex-escravos retornados.

 

Megacidades

Este conjunto é formado por registros das maiores cidades do Brasil e da Nigéria, São Paulo e Lagos, respectivamente. Juntas, estas cidades concentram 36 milhões de habitantes.

 

Estou aqui, sou daqui

Esta série foi desenvolvida em dois momentos distintos. Numa primeira etapa, Tatewaki Nio retratou imigrantes e refugiados nigerianos que vivem em São Paulo. Nio, então, cruzou o atlântico com as imagens impressas em escala real. Na Nigéria, as famílias foram convidadas a posar ao lado da fotografia de seu parente.

 

Tatewaki Nio (Kobe, Japão – 1971)
Formado em sociologia pela Universidade Sophia (Tóquio), estudou fotografia no Senac-SP. Recebeu o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea em 2011 e foi contemplado com a residência fotográfica do Museu de Quai Branly em 2016. Com o projeto realizado para a Bolsa, participou das exposições Histórias Afro-Atlânticas (Masp e Instituto Tomie Ohtake, 2018) e Ecos do Atlântico  Sul (Instituto Goethe e Pivô, 2018 e 2019).